terça-feira, 12 de novembro de 2013

Renascer

 Uma vez, Guilherme de Almeida disse que os ideais dele eram como barquinhos de papel. Hoje, mais do que nunca, o entendo e o sinto. Sempre busquei um entendimento profundo sobre o âmago do Ser Humano, e isso inclui uma busca pelo sistema político perfeito. Ainda não o encontrei, mas, defendo uma Democracia Plena baseada na emancipação de todos os cidadãos do Mundo (adotando uma visão cosmopolitana). Nos últimos momentos, vi que pilares que eu considerava relevantes se mostraram barquinhos de papel e  ameaça aos meus valores maiores. Como uma águia que precisa de um ofício sagrado para se renovar, apostei no poder de mutabilidade do Ser Humano e assumi uma nova postura frente às intempéries da Vida. O lapidar é o caminho...afinal, como diria Millôr, viver é desenhar sem borracha.



Um comentário: