sexta-feira, 6 de dezembro de 2013

O Sorriso no Olho do Furacão

"Queria ter coragem de saber
O que me prende?
O que me paralisa?
Serão dois olhos

Negros como os teus
Que me farão cruzar a divisa..."

(Dois Olhos Negros/ Intérprete: Lenine)

 Olhos...olhos? Olhos! Não daqueles que só não passam despercebidos por questão de respeito, não! Dois lindos e petrificadores olhos dignos de uma Medusa, ou da tempestade Russa. Olhos, exímios estrategistas. Se mostram fugidios para depois nos pegar de surpresa. Uma vez, li algo que dizia que os olhos são a janela da alma...se assim é, que alma! Alma que transparece uma ingenuidade cativante com uma pitada de "decifra-me ou devoro-te". 

"Não fosse isso
e era menos
Não fosse tanto
e era quase"

(Leminski)

Não bastasse isso, os olhos vêm como guardas fiéis do sorriso que supera o do Gato de Cheshire e o de Mona Lisa. Um sorriso tão fugidio quanto os olhos, mas, ainda mais estrategista, que se entrega abertamente, mas que detém o pseudo-detentor. Armadilha das mais desejadas.

"Do you smile to tempt a lover, Mona Lisa?
Or is this your way to hide a broken heart?
Many dreams have been brought to your doorstep
They just lie there and they die there
Are you warm, are you real, Mona Lisa?
Or just a cold and lonely, lovely work of art?"
(Mona Lisa/ Intérprete: Nat King Cole)




Um comentário:

  1. Desculpe-me, mas tudo isso só me faz lembrar do bizarro episódio: cara, você tem olhos lindos!kkkkkkk

    ResponderExcluir