sábado, 22 de fevereiro de 2014

Onde Vivem Os Monstros?

 Dos filmes que assisti após os áureos anos da infância, "Onde Vivem Os Monstros" é um dos mais especiais. Nele, há um refúgio para todas as crianças de todas as idades na fantasia e, além de tudo, uma oportunidade única para conhecer onde vivem os nossos monstros e conviver com eles. O filme parece ter sido feito por crianças, tamanha é a perfeição da obra.


  A temática é atemporal. Embora cantemos nossa canção iluminada de sol e soltemos os panos sobre os mastros no ar e os tigres e os leões nos quintais, as pessoas na sala de jantar são ocupadas em nascer e morrer. Elas nunca terão a indizível sensação, que é conhecer os seus monstros, reconhecer que o ser humano é incompleto, a verdade é múltipla e se aventurar nos (des)caminhos da vida mental, física e astral.
 Não há nada de novo sob o sol? Veremos...






Césares


Na adaga, réstias coaguladas de
Rubro néctar.
Mesmo com os presságios
Dos anjos augustos, suspira:
Até tu, Brutus?!
Na rua, transeuntes ignoram
Um corpo caído sob a chuva.
O giz marca o entorno do que foi.
Sob o distanciamento dos risos
Da freira enlouquecida,
Jaz a visão enegrecida.


(Césares, Renato Lira)