sexta-feira, 14 de novembro de 2014

As Pontes de Madison

  Há um filme eastwoodiano...um clássico que todos os mortais devem ter: As Pontes de Madison. Clint e Meryl numa das histórias que uma hora ou outra são vivenciadas pelo cancioneiro poético que chamamos de mente.


"O acaso indica a direção do vento:
A tola retórica dos sinos
Catapulta os silenciosos inocentes,
Surdos para o monólogo do Tempo.

Pragmatismo nenhum dizimará o mangue
Que penetra e impregna a psiqué
E o coração de uma mulher,
Castrando-lhe o tão são querer

Passai, reles comensais da culpa!
Os meus ouvidos só escutam do tempo a sátira
E a minha visão outrora turva
Enxerga agora do peixe a lágrima"

(As Pontes de Madison - Renato Lira)



Nenhum comentário:

Postar um comentário