sexta-feira, 7 de novembro de 2014

O Dia em Que Conheci Cauby e Ângela

 Há muito, guardava em mim o desejo de assistir a shows da maior voz masculina e da maior voz feminina da MPB: Cauby Peixoto e Ângela Maria. 

Admiro as vozes de diversos outros artistas excepcionais, como Maria Bethânia, Ney Matogrosso, Zizi Possi, Gal Costa, Nana Caymmi, Milton Nascimento, Emílio Santiago, Agnaldo Rayol e Agnaldo Timóteo, Elis Regina etc, mas confesso: Ângela e Cauby têm um quê a mais. Ela é detentora da gravação feminina que mais impactou em minh'alma: Babalú. Em segundo lugar, figura Elis com Como Nossos Pais. Cauby me cativa com a sua veia jazzística  e com a vozeirão singular do qual o povo brasileiro deve se orgulhar.

Foi na presença dessas duas figuras que passei o dia 09 de Outubro de 2014, que ficara marcado na memória de mais um rapaz latino-americano sem dinheiro no banco, mas que respira arte e tem sonhos. Inúmeras pessoas me ajudaram nessa empreitada, algumas até desbancando meus anjos da guarda. 

O fato é que assisti ao show dos dois juntos e ainda os conheci (como? Contarei depois...é uma longa história.).

Hobsbawm já havia alertado para o perigo dessas novas gerações que vivem num tipo de presente contínuo, sem um elo com o passado. Temo que meus contemporâneos não atentem para as pérolas que a música ainda mantém. É preciso educar os olhos para ver...e ouvidos para ouvir.

Deixo-os com uma gravação dos dois:



Nenhum comentário:

Postar um comentário