terça-feira, 24 de maio de 2016

She

23 DE MAIO DE 2016

"Lana,

Um dia, alguns anos atrás, fomos apresentados um ao outro por uma amiga querida. Como as veias da Vida gostam do exótico, quis o destino que a minha amiga lhe emprestasse um livro meu para que você tornasse suas férias um tanto mais interessantes. Quis a minha amiga que fosse o meu exemplar de "Cartas a um Jovem Poeta", de Rilke. Mas o que ainda não entendo é por que cargas d'água você foi se apaixonar primeiro pela minha assinatura?! Quem diria que uma assinatura uniria duas pessoas numa relação tão duradoura, verdadeira e límpida? 

Mia Couto escreveu uma vez sobre o fio das miçangas. Sinto que os vários aspectos da minha vida são inúmeras miçangas de cores, tamanhos e formas diferentes que só ganham um ordenamento por sua causa. Você é o fio que permeia a minha existência. No dia em que nos conhecemos, liguei para meu grande amigo Luan e disse: estou apaixonado! É ela!
Aos poucos, fomos nos conhecendo e eu lhe dedicando músicas, poemas, livros, filmes e afins. Lembro-me que a primeira música foi "She", de Charles Aznavour. Como eu tinha acabado de ir a um show dele, ainda estava na fase de encantamento. Além disso, essa música traduz de forma incomparável o meu modo de lhe ver. Aquela minha amiga que nos apresentou lhe comparou à personagem Anna Scott, do filme Notting Hill. Assisti ao filme...e "She" estava lá! A trilha sonora também contava com Al Green interpretando Bee Gees, o que me fez ficar fascinado pela obra. Somos feitos de silêncio e som. Hoje, depois de tanto tempo, tantos lugares visitados, experiências vividas, vejo que nossa convivência nos fez mais fortes e menos erráticos. Aprendi com você o que é amar em demasia e você aprendeu comigo a tranquilidade em relação às oportunidades de crescimento que a Vida nos dá. Você conheceu Simone comigo e assistimos ao show de Bethânia juntos! És a mulher especialmente carinhosa com a qual eu desejo compartilhar cada passo desse eterno caminhar que é viver. Lhe desejo os parabéns de última hora, mas não tarde o bastante! Queria que todas as pessoas no mundo fossem amadas como você é.

Do teu,
Renato Lira."






 













Nenhum comentário:

Postar um comentário